Abecedário

Universidades, escolas e rankings

 -

Produzido pela repórter Sabine Righetti, blog esmiúça dados do RUF (Ranking Universitário Folha) e de outras avaliações de educação, além de abordar o que acontece nas salas de aula do ensino infantil à universidade.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Por que é importante avaliar as universidades?

Por Sabine Righetti

Estou recebendo uma série de perguntas de leitores que reclamam que suas respectivas instituições – centros universitários e faculdades – ficaram de fora do Ranking Universitário da Folha. No ranking universitário nós consideramos apenas universidades. Isso porque não podemos colocar instituições com missões diferentes no mesmo pacote.

Explico.

No Brasil, as universidades têm de fazer ensino, pesquisa e extensão. Para isso, essas instituições têm de ter pelo menos um 1/3 do seu corpo docente formado por mestres e doutores, entre outras obrigatoriedades.

A contrapartida?

As universidades têm autonomia para abrir vagas e oferecer novos cursos, inclusive fora do Estado da sua sede, sem precisar de autorização do MEC. Isso não acontece com faculdades e centros universitários.

O RUF, seguindo metodologias internacionais de rankings, avalia diversos aspectos do ensino superior, como ensino, mercado de trabalho e pesquisa. Mas se faculdades e centros universitários não precisam fazer pesquisa científica, como poderíamos avaliar essas instituições usando esse indicador? Por isso, no ranking de universidades do RUF estão todas as 192 universidades do Brasil.

Quando avaliamos aspectos pontuais dos 30 cursos com mais matriculados no país, aí sim consideramos todas as instituições de ensino superior – incluindo faculdades e centros universitários. Na avaliação específica do curso de  administração de empresas, por exemplo, a FGV (que não é universidade) está na frente da USP (veja aqui).

MISSÕES

Na prática, há muitas universidades no Brasil que não cumprem o seu papel de pesquisa simplesmente porque não conseguem. Fizemos um levantamento no RUF e vimos que apenas 36 das 192 universidade do país poderiam ser classificadas como instituições “de pesquisa”, pois investem mais de R$ 20 milhões ao ano em pesquisa. E as demais?

Do mesmo modo, há faculdades e centros que, sim, fazem pesquisa mesmo que tal atividade não esteja na sua função determinada pelo MEC.

Todas as universidades do país têm de ter a mesma missão? O que você acha?

 

Blogs da Folha