Abecedário

Universidades, escolas e rankings

 -

Produzido pela repórter Sabine Righetti, blog esmiúça dados do RUF (Ranking Universitário Folha) e de outras avaliações de educação, além de abordar o que acontece nas salas de aula do ensino infantil à universidade.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Por que as meninas desistem da matemática?

Por Sabine Righetti

Nesta semana, em conversa com os dirigentes e pesquisadores do Impa (Instituto de Matemática Pura e Aplicada), descobri uma informação interessante: as meninas desistem da matemática.

Explico.

Dados das olimpíadas de matemática realizadas pelo Impa com alunos de escolas públicas de todo o país mostram que as meninas são maioria entre os inscritos e entre os medalhistas nos primeiros anos do ensino fundamental.

A quantidade de meninas vai caindo ao longo dos anos até que, no ensino médio, despenca.

Nos últimos anos da educação básica há três meninos inscritos nas olimpíadas de matemática para cada menina.

E aí, claro, as medalhistas do sexo feminino também ficam restritas a um pequeno grupo.

Leia mais: Famílias ainda priorizam a educação dos filhos homens

A tendência de queda na quantidade de mulheres que lidam com números fica ainda mais acentuada no nível superior de ensino.

No Impa, por exemplo, há apenas uma mulher entre os 50 pesquisadores  (que têm graduação, mestrado e doutorado).

Em que momento as meninas desistem da matemática? Ou por que elas desistem?

Há algumas tentativas de explicação para o fenômeno, mas nenhuma convence plenamente.

Dentre as respostas, há argumentos culturais e biológicos.

Uma das teorias defende que os próprios professores contribuem para o cenário, aceitando melhor os erros de cálculos das meninas e desafiando mais os meninos para os números.

É possível até colocar a “culpa” nos brinquedos. Alguém aí se lembra daquela boneca barbie que “falava” e uma das frases era justamente “detesto matemática”? Pois é.

Seja como for, a diferença entre os sexos existe. É preciso entendê-la.

Uma dica ao Impa é ir atrás das meninas que se perderam no caminho para entender os motivos. Pode render um bom estudo ou, pelo menos, algumas pistas.

 

Agradeço ao Impa pelo convite e pelo agradável dia que passei visitando o o instituto!

 

Blogs da Folha