Abecedário

Universidades, escolas e rankings

 -

Produzido pela repórter Sabine Righetti, blog esmiúça dados do RUF (Ranking Universitário Folha) e de outras avaliações de educação, além de abordar o que acontece nas salas de aula do ensino infantil à universidade.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

O Enem e a ideia de um exame único nacional

Por Sabine Righetti

No próximo final de semana, dias 26 e 27 de outubro, quase 8 milhões de aluninhos do Brasil devem fazer o Enem (Exame Médio do Ensino Médio).

A prova, feita pelo MEC desde 1998, passou a ter um caráter nacional em 2004 e vem ganhando cada vez mais adeptos. Teve recorde de inscritos neste ano.

O número ainda deve crescer nos próximos anos. Isso porque o Enem está ganhando cada vez mais importância no cenário educacional brasileiro.

A proposta do Enem é bacana. O exame serve como um termômetro de como estão as escolas que oferecem ensino médio no país e ainda pode contar pontos para o ingresso na universidade.

O problema do Enem é fazer com que as escolas se movam em função dele.

Ou seja, as escolas passam a priorizar o que  é cobrado na prova (sobre isso, leia Falta referência nacional para currículo nas escolas).

Isso, dizem alguns educadores, é ruim porque currículos que não estão na prova, mas são importantes para a formação dos adolescentes, ficam fora da sala de aula.

EXAME ÚNICO

Outra vantagem do Enem destacada por especialistas da educação é a realização de um exame único para o ensino superior.

Em alguns casos, o Enem substitui o vestibular. Neste ano, quase todas as universidades federais aderiram ao Enem e usarão os pontos obtidos no exame como critério de ingresso no Sisu (Sistema de Seleção Unificado).

O desempenho no Enem ainda será usado na vida universitária dos alunos.

Quem quiser bolsa do Prouni (para universidades particulares) ou no Ciência sem Fronteiras (bolsas acadêmicas em universidades do exterior) tem de ter uma boa nota no Enem.

A ideia de um exame nacional é tentadora. Nos EUA, por exemplo, a nota no exame SAT é considerada no processo seletivo de todas as universidades daquele país como parte do processo de ingresso.

Lá o estudante escolhe a carreira e a universidade depois de ter feito SAT. Ou seja: se for bem, escolhe cursos concorridos (como a medicina no Brasil). Se for mal, parte para outras carreiras.

Aqui, no caso das federais, estamos caminhando para isso. Em universidades estaduais, o Enem serve para complementar a nota e o aluno tem de fazer o vestibular tradicional. Primeiro escolhe a carreira e depois faz a prova.

 E você? O que acha da ideia de um exame único, do Enem e da prova servir como guia curricular para o ensino médio?

 

As dez melhores escolas no Enem 2011

1 SP SÃO PAULO OBJETIVO COLÉGIO INTEGRADO Privada 737,152381
2 MG IPATINGA COLÉGIO ELITE VALE DO AÇO Privada 718,8833333
3 MG BELO HORIZONTE COLÉGIO BERNOULLI – UNIDADE LOURDES Privada 718,1849078
4 SP SÃO PAULO VÉRTICE COLÉGIO UNID. II Privada 714,9984375
5 CE FORTALEZA COLÉGIO ARI DE SA CAVALCANTE Privada 710,5462766
6 PI TERESINA INST. DOM BARRETO Privada 707,0741573
7 SP MOGI DAS CRUZES INTEGRADO DE MOGI DAS CRUZES OBJETIVO COLÉGIO Privada 706,1213235
8 MG VIÇOSA COLÉGIO DE APLICACAO DA UFV – COLUNI Federal 704,2851027
9 MG BELO HORIZONTE COLÉGIO SANTO ANTONIO Privada 702,3111925
10 RJ RIO DE JANEIRO COLÉGIO DE SÃO BENTO Privada 702,168269

Blogs da Folha