Abecedário

Universidades, escolas e rankings

 -

Produzido pela repórter Sabine Righetti, blog esmiúça dados do RUF (Ranking Universitário Folha) e de outras avaliações de educação, além de abordar o que acontece nas salas de aula do ensino infantil à universidade.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

O dia em que um teto da USP caiu na minha cabeça

Por Sabine Righetti

Eu estava fazendo uma entrevista bacana no final da tarde da última sexta-feira, 10, quando ouvi um estalo bem forte e bem esquisito.

Parte do teto de vidro da lanchonete central do Instituto de Física da USP, onde eu estava, desabou em formato de lanças ao lado de um dos meus entrevistados.

Corremos para perto do balcão da lanchonete e o telhado continuou caindo. Meu entrevistado levou com ele alguns cacos presos no cabelo.

Aparentemente, a cobertura de vidro não aguentou a chuva forte, o peso da água, das folhas e dos galhos — há muitas árvores ao redor do espaço– e desabou.

A cobertura é formada por placas de vidro recheadas de arame — o que significa que elas jamais poderiam cair em formato de lanças. O arame deveria segurar. Mas o metal estranhamente estava enferrujado e não aguentou (arame enferrujado dentro de uma placa de vidro é novidade para mim).

Por sorte, a lanchonete estava vazia e ninguém se machucou. Eu acabei registrando o fato em uma reportagem sobre os prejuízos da chuva na cidade.

DESCULPAS

Durante o final de semana, recebi algumas mensagens de docentes e de pesquisadores do instituto pedindo desculpas pelo ocorrido.

Em uma das mensagens, um dos físicos me encaminhou uma série de solicitações que ele fez à universidade em relação ao teto da lanchonete, que está desabando em partes faz tempo.

“Alguém pode se machucar”, ele diz nas mensagens.

Bom, pelo que eu vi na última sexta-feira, o acidente poderia ser fatal.

A USP ainda não se pronunciou sobre o episódio. A atual gestão da universidade e do instituto está em transição.

O novo reitor assume em algumas semanas e o novo diretor da física assume em março — aí, sim, ele decidirá o que fará em relação ao teto que está caindo.

Fiquei pensando nos pesquisadores incríveis com quem eu conversava naquele momento e em todos outros que já entrevistei naquele instituto.

Lembrei das reportagens que já fiz sobre as descobertas feitas naqueles laboratórios da física.

Lembrei que a USP é a melhor universidade do Brasil de acordo com o RUF e está brigando para estar entre as melhores do mundo.

Por último, lembrei de uma frase de João Grandino Rodas, atual reitor da universidade, em uma entrevista recente que fiz com ele:

“Há alguma universidade muito bem classificada nos rankings mundiais em que aconteçam tomadas violentas de espaço? Obviamente que não.”

Complemento perguntando: há alguma universidade muito bem classificada nos rankings mundiais em que o teto da lanchonete de um instituto cai na cabeça das pessoas?

 

Blogs da Folha