Abecedário

Universidades, escolas e rankings

 -

Produzido pela repórter Sabine Righetti, blog esmiúça dados do RUF (Ranking Universitário Folha) e de outras avaliações de educação, além de abordar o que acontece nas salas de aula do ensino infantil à universidade.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Posse de reitor da USP pareceu casamento tradicionalíssimo

Por Sabine Righetti

Imagino que muita gente que lê este blog não teve a oportunidade de ir à posse do novo reitor da USP, o médico Marco Antonio Zago, que aconteceu no último sábado (25).

Eu fui. Por isso resolvi escrever aqui no blog o que eu vi.

Parecia uma festa de casamento, daquelas bem tradicionais, feita no salão nobre do Palácio dos Bandeirantes.

Entre os convidados estavam o prefeito Fernando Haddad (PT), o governador Geraldo Alckmin (PSDB), o ministro Marco Antonio Raupp (Ciência) e reitores das universidades de Lyon e de Coimbra. Ou seja: era festa de gente importante.

Assim como num casamento, o reitor em exercício, o economista Hélio Nogueira da Cruz, entrou no local ao som de uma orquestra (da USP), com uma vestimenta toda especial.

Em seguida, foi a vez do reitor eleito e seu vice, o engenheiro Vahan Agopyan, entrarem no recinto.

Eles vestiam becas com faixas na cor correspondente a suas áreas do conhecimento. Para o novo reitor a faixa é verde  — cor que representa a área de saúde.

E assim como num casamento também havia “padrinhos”: os representantes do Conselho Universitário da USP.

Durante a cerimônia, o reitor em exercício passou o manto branco e o colar reitoral ao reitor eleito.

Eles ficaram um de frente a outro, bem no meio do palco.

Reitor e vice-reitor juraram compromisso à USP e assinaram um documento  (de posse).

Em seguida, a dupla permaneceu no palco, onde recebeu muitos cumprimentos dos convidados. Também houve comes e bebes.

Quando deixei a festa, antes do cafezinho, a fila para cumprimentar os dois nomes ainda estava enorme.

A MELHOR

Não é à toa que a festa é cheia de pompas: a USP é a maior e melhor universidade do país, com um orçamento maior do que a cidade de Recife (R$ 5 bilhões).

É também responsável por 23% da pesquisa científica feita no país. É, ainda, a universidade que mais forma doutores no mundo.

O problema é que a USP está quebrada e tem gastado 100% dos seu orçamento apenas em salários. O novo reitor destacou isso na posse (leia sobre a posse aqui e leia entrevista com Zago em que ele fala do orçamento aqui).

Ou seja: depois da festa haverá muito trabalho pela frente.

Vamos acompanhar gestão de perto?

posse
Posse do novo reitor da USP, Marco Antonio Zago, e do seu vice, Vahan Agopyan 

 

Blogs da Folha