No dia das crianças, que tal ler em voz alta uma história infantil?

Por Sabine Righetti

A proposta é simples: que tal aproveitar o dia das crianças, comemorado neste domingo (12), para ler em voz alta uma história infantil para os seus filhos, sobrinhos ou para as crianças da sua vizinhança?

A única regra é que o livro não pode ter vínculo com nenhuma religião. E, depois da leitura, a publicação deve permanecer com as crianças, para que elas explorem as imagens, as páginas, as cores.

A leitura de histórias infantis em voz alta ajuda a desenvolver a criatividade e a imaginação das crianças –algo que deve ser estimulado justamente nos primeiros anos de vida. Também estreita laços entre a criança e quem está lendo a história infantil. E o mais importante: incentiva a criançada para a literatura e para os livros de maneira geral.

Não é legal?

Trouxe a proposta para o dia das crianças de um projeto de uma cientista molecular da Jordânia, Rana Dajani, que conheci durante a pesquisa que estou fazendo nos Estados Unidos. O projeto se chama “We love reading” (em português, “Nós amamos ler”).

Começou assim: depois de morar um tempo nos EUA e voltar para a Jordânia, Rana se deu conta de que no seu país não há muitas bibliotecas –assim como acontece no Brasil (já escrevi sobre isso). Consequentemente, as crianças da Jordânia não são estimuladas à leitura “por prazer” e acabam associando os livros a provas e exames. Leem pouco ou quase não leem.

Quase não há bibliotecas na Jordânia, mas há muitas mesquitas (o país é de maioria muçulmana). Ela, então, decidiu reunir as crianças do seu bairro semanalmente na mesquita mais próxima para ler em voz alta histórias infantis de contexto não religioso. Isso foi em 2006. Adivinhem o que aconteceu? A quantidade de crianças para as sessões começou a aumentar e outros adultos replicaram a proposta em outros bairros.

Hoje, o “We love reading” já se espalhou por outros países árabes e chegou até na África. O projeto virou uma ONG, que já recebeu prêmios no mundo todo –e vai receber o Wise Award daqui uns dias como projeto de destaque em inovação educacional.

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Na Jordânia, a iniciativa acabou crescendo mais do que o esperado. Tanto que Rana acabou desenvolvendo uma série de livros infantis sobre temas importantes da atualidade, como mudanças climáticas, para estimular as crianças, por meio da leitura, para as áreas científicas. Não é sensacional?

A cientista me disse que há estudos que mostram que um adulto que cresceu ouvindo histórias encontra nos livros uma espécie de aconchego. É como se, ao ler, sozinho, ele reencontrasse o colo da mãe dele. Trocando em miúdos: a leitura vira um prazer.

Pois então volto à minha proposta: que tal reunir a criançada no dia das crianças para ler uma história? Depois compartilhem aqui no blog a experiência! Quem sabe o hábito de leitura em voz alta acaba virando uma saudável rotina.

 

Esse post foi escrito de Chicago, nos Estados Unidos, onde estou fazendo uma pesquisa sobre educação, inovação e empreendedorismo com financiamento da Fundação Eisenhower.