Posse de reitor da USP pareceu casamento tradicionalíssimo

Imagino que muita gente que lê este blog não teve a oportunidade de ir à posse do novo reitor da USP, o médico Marco Antonio Zago, que aconteceu no último sábado (25).

Eu fui. Por isso resolvi escrever aqui no blog o que eu vi.

Parecia uma festa de casamento, daquelas bem tradicionais, feita no salão nobre do Palácio dos Bandeirantes.

Entre os convidados estavam o prefeito Fernando Haddad (PT), o governador Geraldo Alckmin (PSDB), o ministro Marco Antonio Raupp (Ciência) e reitores das universidades de Lyon e de Coimbra. Ou seja: era festa de gente importante.

Assim como num casamento, o reitor em exercício, o economista Hélio Nogueira da Cruz, entrou no local ao som de uma orquestra (da USP), com uma vestimenta toda especial.

Em seguida, foi a vez do reitor eleito e seu vice, o engenheiro Vahan Agopyan, entrarem no recinto.

Eles vestiam becas com faixas na cor correspondente a suas áreas do conhecimento. Para o novo reitor a faixa é verde  — cor que representa a área de saúde.

E assim como num casamento também havia “padrinhos”: os representantes do Conselho Universitário da USP.

Durante a cerimônia, o reitor em exercício passou o manto branco e o colar reitoral ao reitor eleito.

Eles ficaram um de frente a outro, bem no meio do palco.

Reitor e vice-reitor juraram compromisso à USP e assinaram um documento  (de posse).

Em seguida, a dupla permaneceu no palco, onde recebeu muitos cumprimentos dos convidados. Também houve comes e bebes.

Quando deixei a festa, antes do cafezinho, a fila para cumprimentar os dois nomes ainda estava enorme.

A MELHOR

Não é à toa que a festa é cheia de pompas: a USP é a maior e melhor universidade do país, com um orçamento maior do que a cidade de Recife (R$ 5 bilhões).

É também responsável por 23% da pesquisa científica feita no país. É, ainda, a universidade que mais forma doutores no mundo.

O problema é que a USP está quebrada e tem gastado 100% dos seu orçamento apenas em salários. O novo reitor destacou isso na posse (leia sobre a posse aqui e leia entrevista com Zago em que ele fala do orçamento aqui).

Ou seja: depois da festa haverá muito trabalho pela frente.

Vamos acompanhar gestão de perto?

posse
Posse do novo reitor da USP, Marco Antonio Zago, e do seu vice, Vahan Agopyan 

 

Comentários

    1. Felipe, o fato de a posse do reitor da USP contar com a presença de prefeito, governador e ministro revela a importância da universidade. Justamente por isso é comum falar da USP em posts sobre ensino superior deste blog. Abraços, Sabine

    2. “…a USP é a maior e melhor universidade do país, com um orçamento maior do que a cidade de Recife…” “É também responsável por 23% da pesquisa científica feita no país. É, ainda, a universidade que mais forma doutores no mundo.”

      Esse comentário é descabido se tivesse prestado atenção nessa parte em específico do texto.
      A maior e mais importante universidade do país tem que ser acompanhada de perto pela imprensa. Isso é algo que falta realmente. Uma imprensa que fique em cima dos acontecimentos da USP em seu dia a dia.
      Não somente quando é motivo de notícias em todos os veículos, não somente quando ocorrem greves, extrema violência culminando no assassinato de algum aluno, etc. Também em todos esses casos, mas principalmente em casos diários, que procure verificar e acompanhar com uma lupa as decisões e direções dessa que é o maior patrimônio da educação de nosso país.

      E isso esse blog tem feito muito bem.
      Não só isso, obviamente.

  1. Muita pompa e circunstância quando o momento atual exige ação e coragem para mudar velhos paradigmas.

  2. Muito interessante o relato.
    Apenas uma pequena correção:
    o Prof. Hélio Nogueira da Cruz não atuava como reitor da Universidade (cargo ocupado pelo Rodas), e sim como vice.

    1. Letícia, sim, mas ele foi mencionado como “reitor em exercício”. Rodas não estava presente. Abraços, Sabine

Comments are closed.