Abecedário

Universidades, escolas e rankings

 -

Produzido pela repórter Sabine Righetti, blog esmiúça dados do RUF (Ranking Universitário Folha) e de outras avaliações de educação, além de abordar o que acontece nas salas de aula do ensino infantil à universidade.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Candidato da FGV poderá usar nota do Enem a partir do próximo vestibular

Por Sabine Righetti

Os estudantes que quiserem prestar os cursos de administração ou administração pública na FGV de São Paulo agora poderão usar nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

A mudança acontece já no próximo próximo processo seletivo, que deve abrir inscrições em julho.

O aluno poderá escolher o vestibular tradicional da fundação ou a nota do Enem (ou os ambos) no ato de inscrição do processo seletivo.

Haverá vagas reservadas para as duas opções.

Alunos “fora da elite” se destacam na melhor escola de administração do país

Confira a avaliação de administração da FGV no RUF

No curso de administração, que é voltado para administração de empresas, 15 das 200 vagas serão destinadas ao Enem. Já em administração pública serão 5 das 50 vagas.

“O que muda é o processo seletivo, mas não haverá nenhum tipo de identificação do aluno que entrou pelo vestibular tradicional ou pelo Enem”, explica Nelson Lerner Barth, coordenador do curso de administração.

NACIONALMENTE

A ideia da FGV, explica Marco Antonio Carvalho Teixeira, vice-coordenador do curso de administração pública, é permitir que estudantes de todo o país possam concorrer às vagas da FGV.

Como o Enem é aplicado nacionalmente, a prova é uma boa forma de atingir esse objetivo.

No ano passado, 7,7 milhões de estudantes se inscreveram para o exame em todo o país.

Hoje, o vestibular da FGV acontece apenas em cinco capitais (São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza, Distrito Federal) e em duas cidades do interior: Londrina (Paraná) e Ribeirão Preto (São Paulo).

É pouco, mas a seleção já é mais ampla que a Fuvest, que seleciona os 11 mil novo alunos da USP anualmente. As provas da Fuvest acontecem apenas no Estado de São Paulo.

NOTA MÍNIMA

Entrar na FGV usando pontos do Enem não será fácil. A fundação exige uma nota mínima de 750 pontos no exame.

Para se ter uma ideia do que isso significa, os alunos do Objetivo Integrado, escola de São Paulo cujos alunos têm as melhores notas nacionalmente no Enem, têm uma média de 740 pontos no exame.

“Fizemos análises estatísticas para chegar a um número do Enem que se aproxime ao perfil do aprovado no vestibular tradicional da FGV”, diz Barth. “Queremos os melhores alunos.”

INCLUSÃO

A inclusão das notas do Enem no vestibular é mais uma iniciativa da fundação no sentido de diversificar os alunos do curso de administração.

Desde o ano passado, a fundação também mantém um cursinho para alunos de escola pública que querem fazer FGV, com aulas gratuitas aos sábados em período integral (veja aqui).

A fundação ainda tem disponibilizado bolsas de estudos a alunos aprovados no processo seletivo que são egressos da rede pública (leia aqui).

A diversificação de alunos em termos de região de origem e de classe econômica é tida como um critério de qualidade do ensino superior em todo o mundo. Isso porque um grupo mais heterogêneo de alunos tende a render discussões mais ricas, aprofundadas e dinâmicas.

Por enquanto, ainda não há previsão de inclusão do Enem no curso de direito da FGV-SP. Para esse curso, o processo seletivo atual da FGV inclui até prova oral.

Blogs da Folha